Menu
Candidatos > Como montar um currículo

Como montar um currículo

 

Todo processo seletivo inicia-se com a prospecção de currículos para a vaga em questão. A busca ocorre de diversas maneiras, através de sites de emprego, indicações, hunting, entre outros. Encontrar o currículo ideal para a vaga aberta é um passo muito importante, pois é o início de tudo. Caso esteja procurando emprego em áreas diferentes, é recomendável criar um currículo específico para cada objetivo profissional.

No início do currículo, logo abaixo dos dados pessoais e do objetivo, você pode colocar (mas não é obrigatório) um pequeno resumo (bem pequeno mesmo) de suas principais qualificações, por exemplo "Engenheiro Industrial com 5 anos de experiência em Programação de Produção, com uso do software APS da HighTec. Vivência em fábrica de automóveis". Apenas. Não há um consenso sobre o melhor modo de elaborar o seu currículo, porém algumas informações não podem ficar de fora:

Dados pessoais: É muito importante ter nome e dados de contato (não há como encontrá-lo sem um telefone atualizado, de preferência deixe mais de um e busque não ficar trocando de número), não esqueça de colocar o e-mail, e se tiver Linkedin, blog, página que você desenvolveu ou alguma outra ferramenta que te ajude a mostrar o seu trabalho coloque também. São necessárias as identificações pessoais, como idade, nacionalidade, estado civil e cidade onde mora. É normal alguns profissionais esconderem a idade, seja para não parecer muito novo ou mesmo muito velho para determinada vaga, mas a nossa dica é não esconder, pois se a vaga tiver alguma restrição, de idade por exemplo, omitir no primeiro momento pode até fazer aumentarem os contatos iniciais ou a quantidade de entrevistas, porém quando descobrirem a informação omitida, automaticamente será excluído do processo seletivo, fazendo-o perder tempo e dinheiro, que poderiam ser investidos em vagas que não tenham essa restrição. Não coloque dados de registro, como CPF ou RG, não é necessário e podem chegar até pessoas com más intensões. No endereço, inclusive, pode até constar apenas a rua e o bairro (para o empregador saber a distância até o local), mas o número da casa e/ou apartamento podem ser omitidos sem problemas.

Idioma estrangeiro: Atualmente falar uma segunda língua pode ser, muitas vezes, mais importante que a formação acadêmica, dependendo da vaga. Caso possua fluência em algum idioma, coloque no começo do currículo, pois o valoriza aos olhos do headhunter. Porém, assim como no caso da idade e outras informações falsas, falar que possui fluência em determinada língua quando na verdade sua fala é avançada ou intermediária só faz ser chamado para várias entrevistas e não ser aprovado, pois se a vaga exige o conhecimento, sem dúvidas será avaliado no quesito em questão. Isso também pode te desqualificar diante de vagas que não exigem fluência no idioma, "se este candidato fala que o inglês dele é fluente quando na verdade é intermediário, da mesma forma pode estar mentindo a respeito de seus conhecimentos e experiência".

Formação Acadêmica: Nesse campo deixe para colocar os cursos de maior relevância, como técnico, graduação, pós-graduação, doutorado, mestrado. Para algumas vagas certificações também possuem grande peso, e pode-se colocá-las nesse campo ou mesmo em um espaço somente para certificações. Cursos de menor relevância podem ser incluídos no final do currículo, depois da experiência profissional. Coloque suas formações em ordem cronológica inversa, primeiro as mais recentes, depois as mais antigas. Quando mencionar seus cursos não esqueça de colocar a data de início e de conclusão (mês/ano), a Instituição de Ensino e a carga horária no caso de cursos complementares (os ditos "cursos livres").

Experiência profissional: Este campo é um dos mais importantes do currículo. É aqui que o recrutador vai avaliar se o candidato possui ou não a experiência e perfil desejado para vaga. Existe uma linha muito tênue entre colocar informação em demasia e pouca informação. Coloque todas as ferramentas que são relevantes na sua área de atuação. É muito importante citar as atividades que realizou. Por exemplo, se for um engenheiro de automação, coloque a marca e modelo das máquinas que trabalhou, os softwares que utiliza, etc. Se for um desenvolvedor, pode colocar todas as linguagens e frameworks que utiliza no seu dia a dia, assim como o tipo de sistema que desenvolve (separando-as em conhecimento básico, intermediário e avançado). Caso o currículo fique demasiadamente grande, deixe somente as cinco primeiras experiências profissionais.

Candidatos sem experiência: se você está procurando o seu primeiro emprego, pode citar como experiência eventuais trabalhos do centro acadêmico da faculdade, relatando as atribuições. Ou até mesmo trabalhos voluntários.

Tamanho do currículo: O ideal é que o currículo fique entre uma e duas páginas. Não deixe passar de três páginas, pois geralmente recrutadores e gestores costumam olhar muitos currículos durante um processo seletivo e currículo muito grandes podem ser vistos com maus olhos. Currículos pequenos e sem informações podem ser piores que os muito extensos, pois nos dificulta saber quais são suas reais qualidades e conhecimentos.

O que não é necessário: como já dito antes, não é necessário e pode até ser perigoso, colocar RG e CPF. Não é necessário ter foto (somente quando solicitado), nem nome de pais, esposa, filhos e/ou cônjuges. Também não precisa de referências pessoais, cartas de referência e motivo pelo qual saiu do emprego anterior.

Por fim lembre-se de ter um cuidado especial em relação aos erros de Português; depois de elaborado, revise a gramática e todo o conteúdo de seu currículo. Lembre-se: o currículo deve ser feito de forma clara e objetiva, focando suas qualidades profissionais e não informações desnecessárias só para encher papel.

Boa sorte!

Veja mais em Dicas de entrevista!



Todos os direitos reservados 2018
Top